Trabalhos Freelance Bilíngues

Vez ou outra, antes de meu marido começar a trabalhar formalmente no Brasil, fazíamos alguns trabalhinhos como recepcionistas bilíngues em eventos diversos, coisa rápida, e que rendia um dinheiro extra sem maiores sacrifícios. Precisávamos apenas de um traje social, um sorriso no rosto e o inglês razoável, sem fluente precisava ser.

O trabalho pode durar uma manhã, uma tarde ou uma noite, talvez até um dia inteiro, dois ou uma semana toda. A diária, na época, girava em torno de 120 reais. Na última vez em que fomos convidados, ganhamos quase 500 reais em apenas dois dias, quer coisa melhor? Recepcionistas não bilíngues ganham menos, mas ainda assim vale a pena para ganhar uns bons trocos nas horas de folga.

Não me perguntem como arranjar esse tipo de freelance, porque eu não sei, meu caso era por conta de um contato imediato que eu tinha, alguém muito próximo da família, que foi quem nos convidou. Sempre que surgia uma oportunidade, aceitávamos prontamente, é lógico. Chegamos a ganhar um bom dinheiro com isso e até ficamos uma semana inteira em outra cidade, com hospedagem e alimentação pagos, sem contabilizar o valor das diárias. Por problemas de relacionamento com esse familiar, os contatos acabaram cessando. Faz parte.

A primeira vez que fomos convidados, meu marido já estava no Brasil havia seis meses, e seu português era básico do básico. Era um encontro médico com profissionais de vários países, dentre eles Suécia, Itália, Coréia do Sul, Japão, Inglaterra e Romênia. Quando solicitados, deveríamos auxiliar os convidados estrangeiros. Dentre os convidados do Reino Unido, havia um senhorzinho muito simpático, de seus 70 e poucos anos, com um inglês fofo, ele falava devagar normalmente e não porque éramos brasileiros, sua dicção era super clara e ele tinha aquele sotaque lindo que só os britânicos têm. Em compensação, havia um outro sujeito, inglês também, que eu simplesmente não entendia nada do que ele falava. O marido salvou a pátria, não só entendeu o que o rapaz dizia, como até hoje ele debocha de mim por causa da situação porque eu não estava entendendo patavinas. Disgramado! Talvez hoje em dia eu entendesse, ou não, porque para mim parecia que ele estava falando uma língua aborígene e não inglês! rs… Foi um pesadelo falar com o sujeito.

Sugiro, então, que vocês pesquisem na internet sobre recepção de eventos bilíngue, volte e meia empresas de eventos contratam, com certeza vale a pena dar uma olhada. O bom é que seu parceiro não precisa manjar muito de português para fazer isso, basta gastar o inglês (ou outra língua) à toa. É uma ótima pedida para preencher o tempo com uma atividade fácil e remunerada, em que se pode, inclusive, fazer uns contatos e sem se comprometer em horário integral, ou seja, será possível se dedicar a outras atividades paralelamente.

Fica a dica aos interessados. Se este post foi útil e esclarecedor, deixe seu comentário, curta e compartilhe! Obrigada!