Procurando Emprego para Estrangeiro no Brasil

Certa vez, ao fazer minhas pesquisas sobre trabalho e emprego para estrangeiro no Brasil, deparei-me com um artigo muito bom na internet. Nem era sobre mão de obra estrangeira no Brasil, era sobre o trabalhador desempregado comum, brasileiro mesmo. E a mensagem que havia lá me impactou profundamente.

Em linhas gerais, quem escreveu o artigo explicou o que uma pessoa que está procurando emprego deve fazer, que atitudes tomar, que rotina deve ter. Ele dizia que a pessoa que está procurando emprego deve encarar essa PROCURA como se fosse o PRÓPRIO EMPREGO. Não poderia estar mais correto. Ele recomendava dedicar-se a isso em tempo integral, ou seja, 8 horas por dia, 44 horas por semana, com pausa para o almoço e descanso aos domingos.

Na verdade, ele me chocou profundamente, pois foi aí que me dei conta que procurar emprego é uma atividade que deve ser levada extremamente a sério. Há que se ter um método e segui-lo à risca, não se pode mandar um currículo aqui, outro acolá um dia sim, e uma semana não. É preciso enviar, no mínimo, uma porção de currículos por dia, caso contrário, o candidato nunca receberá ligações para entrevistas. Eu imediatamente comprei a ideia e a incorporei em minha vida. Assumi essa tarefa e levei muito a sério. Virei, praticamente, uma consultora de carreira e emprego do meu marido.

Durante as épocas em que eu preciso procurar emprego para ele, eu costumo mandar currículo durante meu horário de trabalho, quando estou em casa e aos finais de semana, religiosamente. Viro, praticamente, uma máquina de mandar currículos e faço isso sempre que necessário. Não relaxo nem durante os períodos em que meu marido está em meio a processos seletivos e quase nos finalmentes, pois essa é uma tarefa que não pode ser interrompida de maneira alguma. É preciso regularidade, disciplina e persistência.

Inicialmente, não deleguei essa tarefa a ele simplesmente porque achei que perderia quase toda a agilidade do processo por causa do idioma. É lógico que, por não ser falante nativo, ele levaria mais tempo para absorver as informações, a descrição da vaga e até poderia acabar disparando currículo para onde não deveria, além de não me informar em qual site de recursos humanos ele mandou, nem o nome da vaga. Sim, sou extremamente sistemática e metódica ao mandar currículos, anoto tudo em um caderno e gosto de ter controle absoluto das informações, saber exatamente quem está ligando para entrevistar, qual empresa, nome da vaga, etc. Hoje em dia, ele pode fazer isso tranquilamente, mas ficamos tão acostumados à nossa divisão de tarefas inicial, que isso parece não fazer sentido algum.

Ele geralmente não consegue acompanhar tudo que eu faço, pois são muitas vagas, muitos sites, muita coisa para ficar acompanhando detalhadamente, então ele nem se preocupa com isso, apenas se informa com mais profundidade sobre as vagas quando as empresas ligam atrás dele. Basicamente, ele segue as minhas instruções, e faz isso até hoje. Somos uma dupla bem afinada nesse aspecto, minha tarefa sempre foi a de pesquisar vagas, mandar currículos e procurar cursos de aperfeiçoamento, e a tarefa dele sempre foi estudar para as entrevistas e cursos.

Acredito que milhares de pessoas estão e continuam desempregada não só por causa das graves crises na economia que vão e vêm, mas também por não saber conduzir a procura por emprego de modo adequado e nem se preparar para isso. Mandar um currículo hoje e outro semana que vem é muita negligência. Talvez estrangeiro já saia em desvantagem só por ser estrangeiro, uma suposição, é claro, mas uma das grandes barreiras nessa procura é a dificuldade com o idioma, sem dúvida alguma.

Sempre que necessário, eu costumo procurar emprego de duas a seis horas por dia, dependendo do dia, é claro, e do meu estado de ânimo. Poucos são os dias em que eu fico procrastinando e me enrolando para mandar. Claro que isso acontece às vezes, não posso mentir, mas tento evitar e continuar a busca. Nem sempre consigo mandar mais de uma dezena de currículos diariamente, mas o importante é tentar, pesquisar e não perder o foco, porque se deixar, a gente relaxa mesmo, pois não é das tarefas mais agradáveis. Com o tempo, até acabei me acostumando a essa procura diária e cheguei a sentir falta quando não precisei mais procurar.

O engraçado é que tudo aquilo que eu nunca fiz por mim, fiz e ainda faço por ele. É bastante esforço, sim, mas sempre achei que meu relacionamento merecia, e ainda merece. Ele está aqui por mim e fazer isso por ele é o mínimo, afinal, vê-lo encaminhado, trabalhando, livre da pressão do desemprego, também é benéfico ao meu relacionamento, então continuo apoiando-o.

Atentem-se ao fato de que a partir do dia em que se começa a mandar currículo, demora um tempinho até que as empresas e consultorias comecem a ligar. Portanto, não esperem que já no dia seguinte comecem a receber ligações, porque não é assim que as coisas funcionam. Deve-se mandar diversos currículos diariamente e não deve criar expectativa alguma, pois só depois de um tempo começará a receber ligações e ainda assim apenas vez ou outra. Já mandei o currículo do marido para vagas as quais o currículo dele se encaixava perfeitamente e esperei por uma chamada que simplesmente nunca aconteceu. O contrário também já aconteceu muitas vezes, de eu mandar o currículo dele sem pretensão alguma, apenas por mandar por não acreditar que realmente ligariam e ser pega de surpresa por uma ligação inesperada. Sendo assim, aconselho que não vocês não façam planos mirabolantes e previsões mega, porque é bem provável que se frustem. Façam o que tem de ser feito, que é procurar emprego com vontade e assiduidade, que o resto vai se encaminhar.

No mais, tenha em mente o seguinte: persistência e paciência são as palavras-chaves, não as perca de vista, pois uma hora o resultado de tanto esforço aparece. Se este post foi útil e esclarecedor, deixe seu comentário, curta e compartilhe! Obrigada!

Autor: manualquasepratico

Brasileira, casada com um estrangeiro, atualmente vivendo e blogando no Brasil.

6 comentários em “Procurando Emprego para Estrangeiro no Brasil”

  1. Oi querida! seus posts são excelentes. Sempre me lembrando de coisas importantes e aprendendo também! e admiro muito essa força que você dá ao seu amado. Uma pergunta: Seu marido é de que país?

    Viu.. você postou um comentário no meu blog esses dias e eu sou muito passada. Abri o seu coments pelo o Iphone e acabei excluindo sem querer 😦

    Agradeço sua visita ao meu blog!

    Um beijo

  2. Um dos melhores assuntos abordados que já li! Você sempre com dicas e falando sobre a realidade. Adorei! E isso me ajudou muito. Também estou na fase de enviar currículos. No início dei essa tarefa para meu marido mas percebi que acontecia o mesmo: ele nem sabia para onde enviava, sobre o que se tratava, etc. Então passei eu mesma a direcionar os currículos. E é tarefa árdua! bjss

    1. Ai, guria, é chato e árduo mesmo, mas totalmente necessário! Temos que acordar todos os dias altamente motivadas para não deixar a peteca cair. Só não desisti ainda porque tenho muita força de vontade e confiança de que vai dar certo, caso contrário, já teria despachado meu marido! rs…

      Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s